flores-do-fogo

Sacode a cabeleira

Scroll down for English
Nem só de guitarras se faz um bom Rock'n'Roll, também é preciso uma bela cabeleira. Verdadeira ou falsa, na cabeça ou no queixo, madeixas não podem faltar! Então, vamos reservar este espaço para falar dessa guedelha, sempre regado a um bom som e trazendo dicas para os ouvidos e para a juba.

Muito além da maneira de vestir, talvez os penteados sejam uma das características mais marcantes das bandas de Rock’n’Roll, mudando radicalmente de tempos em tempos à medida que os novos artistas reagem aos estilos usados pelas gerações anteriores.

Desde que os Beatles surgiram com seus penteados considerados desgrenhados, se comparados aos cabelos engomados por brilhantina das gerações anteriores, até as cabeleiras enormes das bandas de Heavy Metal ou as longas franjas Emo, o estilo do penteado é sempre tido como um ato de rebeldia e provocação.

Com o auge do movimento Hippie, homens deixando os cabelos compridos causaram tanta indignação no final dos anos 60 e início dos anos 70 que o jovem David Bowie, junto com alguns amigos, até fundou um grupo de apoio aos cabeludos chamado Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra Homens de Cabelo Comprido.

Fossem mechas gordurosas, como as de Ozzy Osbourne, ou cachos soltos, como os de Robert Plant, os cabelos compridos pareciam se encaixar cada vez com a música pesada da época. Até que os Punks do final dos anos 70 criaram seu próprio visual, com penteados curtos e espetados, em contraponto aos cabelos longos e ostentosos do Rock Progressivo.

Então, vieram os anos 80, trazendo mais estilos de penteado do que se poderia imaginar. Artistas da New Wave levaram o visual Punk em uma direção teatral, exagerando no gel e nas cores, em uma década que viu  surgir o visual gótico de bandas como The Cure e o estilo andrógino das bandas de Hair Metal, como Poison e Twisted Sister. Havia cabelo para todos os gostos.

Atualmente, especialistas médicos afirmam que a franja longa usada por fãs de Emo pode ser prejudicial à visão, mas isso não afeta a popularidade do penteado, que nem é tão diferente do velho topete dos anos 60 e continua a encontrar fãs.

O papel dos cabelos no mundo do Rock continua firme e forte. Tanto que, para ilustrar esta matéria, escolhi a banda Flores do Fogo. Cabeludos à moda antiga que fazem um som de primeira que você ouve todos os dias nos programas Central Station e também pode conhecer melhor no blog Rock Master do amigo Seabra!

It’s not only the way band members dress, but perhaps their hairstyles, which are one of the most defining characteristics of a Rock’n’Roll band.

Changing radically from time to time as new artists react against the styles used by previous generations, since the Beatles came up with their shaggy hairdos, if compared to the brilliantine-groomed hair of previous generations, to the huge wigs of Heavy Metal bands or the long Emo fringes, the hairstyle is always seen as an act of rebellion and provocation.

With the heyday of the Hippie movement, more and more men growing out their hair caused so much outrage in the late ’60s and early ’70s that young David Bowie and friends even formed a support group called the Society for the Prevention of Cruelty to Long-Haired Men.

Whether greasy Ozzy Osbourne’s locks or flowing  Robert Plant’s curls, long hair seemed to fit with the heavy music of those days. Until the Punks created later their own  look with short and spiky hairstyle, as opposed to the flamboyantly long hair of Progressive Rockers.

Then came the 80s, bringing more hairstyles than one could figure. New Wave artists took the Punk look to a theatrical direction, exaggerating with hair gel and colors, in a decade that saw the rise of the gothic looks with bands like The Cure and the androgynous style of Hair Metal bands with acts like Poison and Twisted Sister. There were hairstyles to suit all tastes.

Currently, medical experts say that the long fringe ostented by Emo fans can be detrimental to eyesight. However, that hasn’t affected  a bit the popularity of the hairstyle, which isn’t all that much different from the old ’60s mop and continues to find its fans among young kids.

While the role of hair in the Rock’n’Roll world remains as something unquestionable, I’ve chosen a band called Flores do Fogo to illustrate this post. Timeless Rockers who wear that old-fashioned ’70s hairstyle and make awesome music as in the good old ’80s. And you can listen to more from them by tuning to Central Station radio shows, almost 200 weekly hours with the best of Independent Rock on your favorite webradio!

Arthur Lobatto

Arthur Lobatto

Amante do bom e velho Rock & Roll e especialista no estudo de características faciais para determinar o melhor estilo de cabelo e barba para cada tipo de rosto, também domina técnicas inovadoras e os princípios da cosmetologia. A tesoura é o seu pincel e o cabelo sua aquarela para a obra prima que é sempre o cliente satisfeito e com um sorriso no rosto. Agora é parceiro da Jump City Rocks onde escreve mensalmente para esta coluna.

Compartilhe / Share!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email